quinta-feira, 3 de março de 2011

Frota de Locomotivas aumentando

Foram somente três locomotivas modelo ALCO PA-1 que a Cia Paulista chegou a possuir. Porem tem sua importância histórica. Hoje, o que deve restar delas é apenas ferrugem!




O forte estímulo a ter esta locomotiva, veio de meu amigo Lino, natural de Parapuã, que conta muitas histórias sobre os trens da Paulista. Compartilho com os leitores uma delas:

Quanto à Locomotiva, me lembro que eram 2 que iam de Bauru a Panorama, cujas numerações eram 600, 601 e se não me engano tinha uma terceira que tinha a numeração 602, e eram chamadas pelo pessoal da paulista de JABURU (meu tio era maquinista) .
Em Bauru elas eram substituidas por maquinas elétricas e elas voltavam para Panorama.
Elas puxavam os trens de passageiros, com maior frequencia os trens de luxo, que eram
denominados de trem "R" e vagões de carga.
Eu ia estudar em Adamantina e pegava o trem de luxo "R" que passava em Parapuã impreterivelmente às 7:00 da noite (sem atraso) e voltava para Parapuã, no trem "J" que chegava em Parapuã impreterivelmente às 11:40 da noite.
O trem "J" era de madeira, mas tinha primeira e segunda classe, vagão do correio, vagão do chefe do trem, e o vagão dormitório. Quando o trem chegava em Marilia era adicionado um outro vagão dormitório e mais vagões de segunda e de primeira classe. Se não me engano no trem noturno não tinha carro restaurante, se era anexado à composição era somente a partir de Bauru.
Ainda hoje tenho na memoria, o garçon passando empurrando um carrinho de bebidas dizendo: Olha o guaranaáá, maçanzinha, sodinhaaaaa, quando não era o garçon novamente oferecendo: Olha o Sanduiche, Olha o sanduicheeee,..... ainda sinto o cheiro daqueles sanduichões de mortadela. Minha nossa... como era gostoso um sanduichão daqueles e uma maçanzinha.
Tinha o vendedor de revista que vendia "catecismos" para os estudantes.
Tinha o seu Cezar que era um picotador de bilhetes que morava em Marilia, muito de bem com a vida, ele era poeta e vez em quando mostrava pra gente as obras dele.
Me lembro que um dia ele entrou no nosso vagão (estudantes eramos uns 40 mais ou menos, era gente de Iacri, Parapuã, Osvaldo Cruz, Inubia, e Lucelia), como ia dizendo o Sr. Cezar entrou em nosso vagão anunciando que a proxima cidade era Osvaldo Cruz... mas ele falava Osvárdo Cruiz
e as meninas de Osvaldo Cruz disseram pra ele: Seu Cezar não é Osvárdo Cruiz , é Oswaldo Cruz......ele respondeu : pra merca que é Osvárdo Cruiz ta muito bom.
Xi tem muitas historias....
O trem era uma cidade.



O Trem "J" puxado pela PA-1

3 comentários:

  1. Fantástico. Uma boa lembrança. Gostei muito, super nostálgica. Parabéns! belo blog também.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Quero agradecer ... eu não conhecia aquele link que você me enviou!!!! muito obrigado....

    ResponderExcluir